Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/39456
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_RosaMariaGodinhoMonteiro.pdf1,93 MBAdobe PDFView/Open
Title: “Tenho pais surdos, e agora”? : trajetórias de ouvintes filhos de surdos
Authors: Monteiro, Rosa Maria Godinho
metadata.dc.contributor.email: rosamonteiro.rosamonteiro@gmailcom
Orientador(es):: Lacerda, Cristina Broglia Feitosa de
Assunto:: Ouvintes - filhos de surdos
Codas
Pedologia
Vigotsky, Lev Semenovich, 1896-1934 - crítica e interpretação
Experiências vivenciais
Issue Date: 21-Aug-2020
Citation: MONTEIRO, Rosa Maria Godinho. “Tenho pais surdos, e agora”?: trajetórias de ouvintes filhos de surdos. 2020. xiii, 260 f., il. Tese (Doutorado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2020.
Abstract: O presente estudo, fundamentado na perspectiva histórico-cultural, tem como premissa basilar que a constituição do ser humano se dá na e pelas relações sociais. Ao tratar como os ouvintes filhos de surdos (Codas) significam suas experiências, a pesquisa teve como objetivo central investigar a partir das vivências destes sujeitos as produções de sentidos e significados que emergem de suas trajetórias bilíngues-bimodais e biculturais. Em um desdobramento, intentamos: a) discutir as experiências bilíngues biculturais dos Codas; b) compreender os desafios familiares (cuidado, atenção, educação etc) que emergem da peculiaridade linguística dos genitores surdos a partir das narrativas de seus filhos Codas e, c) contribuir com a discussão para o campo da Psicologia do Desenvolvimento sobre vivência, desenvolvimento bilíngue-bimodal, biculturalismo e dinâmica familiar de ouvintes filhos de surdos. Para tanto, foi realizado um trabalho investigativo no ano de 2017 no Distrito Federal com 07 Codas adultos. Por meio de encontros semanais individuais com duração de aproximadamente 1h30 durante o período de 01 ano, realizou-se entrevistas semiestruturadas que se desdobraram em narrativas acerca das vivências sobre o que é ser Coda. Os modos de construção dos dados foram organizados em duas fases: a) Fase 1 (sensibilização investigativa): apresentação da pesquisadora e dos objetivos da pesquisa e, b) Fase 2 (caracterização dos participantes a partir de suas narrativas): realização de encontros narrativos videogravados. Para a análise dos dados, foram feitos registros em um diário de campo e em videogravações, que foram transcritas integralmente após a sua realização. Tendo como base os estudos pedológicos de Vigotski, os dados foram organizados em sete cenas, uma para cada participante, que representam as unidades de análise da vivência dos sujeitos, nomeadas com os seguintes títulos: Cena 1: “No curso de Pedagogia, aos 34 anos, eu reconheci a língua de sinais em mim. Não vou mais sair! Eu pertenço a isso!”; cena 2: “Ser Coda é uma benção!”; cena 3: “É sobre ser Coda? Nossa, até que enfim seremos ouvidos, chegou a minha vez!”; cena 4: “Nunca parei para pensar sobre o que é ser Coda”; cena 5: “Eu não gostava de interpretar. Mas tenho uma coisa clara para mim: é a minha obrigação enquanto filho. Paciência!”; cena 6: “Coda? Fiquei surpresa em receber um convite para falar disso, não sabia o que era Coda” e, cena 7: “Fiquei muito chateada quando descobri que meu pai não precisava de mim para resolver as coisas”. Em linhas gerais, destacamos os principais resultados: a) as significações sobre o que é ser Coda estão circunscritas no meio (no sentido pedológico) que cada sujeito vivenciou e diferem entre si por esta razão; b) as vivências acerca do que é constituir-se Coda estão intimamente relacionadas com as dinâmicas familiares de cada sujeito; c) mesmo com um traço biológico comum (língua de sinais materna herdada) os ouvintes filhos de surdos não denotam as mesmas experiências acerca de suas trajetórias; d) a etapa etária articulada com as vivências do meio tem um papel central para se compreender a constituição da personalidade dos Codas e, e) a experiência de ser intérprete dos pais apresenta vivências negativas e positivas evidenciadas por meio de dinâmicas contraditórias, garantindo um caráter não permanente acerca da constituição do que é ser Coda culminadas na perspectiva que entende o desenvolvimento como heterogêneo, mutável, não-linear e tensionado na concretude dramática dos papéis sociais.
Abstract: The present study, based on the historical-cultural perspective, has as its basic premise that the constitution of the human being occurs in and through social relations. By addressing how hearing children with deaf parents (Coda) signify their experiences, the main objective of the research is to investigate, from the experiences of these subjects, the production of senses and meanings that emerge from their bilingual-bimodal and bicultural trajectories. In an offshoot, we intend to: a) discuss the bilingual bicultural experiences of the Coda; b) understand the family challenges (care, attention, education, etc.) that emerge from the linguistic peculiarity of deaf parents from the narratives of their children and, c) contribute to the discussion in the field of Developmental Psychology about experience, bilingual-bimodal development, biculturalism and family dynamics of hearing children with dead parents. To this end, an investigative work was carried out in 2017 in the Federal District (Brazil) with 07 adult Coda. Through individual weekly meetings lasting approximately 1h30 during the 01 year period, semi-structured interviews were carried out which unfolded in narratives about the experiences of what it means to be Coda. The modes of construction of the data were organized in two phases: a) Phase 1 (investigative awareness): presentation of the researcher and research objectives and, b) Phase 2 (characterization of participants from their narratives): carrying out narrative meetings video recordings. For data analysis, records were made in a field journal and in video recordings, which were fully transcribed after completion. Based on Vigotski's pedological studies, the data were organized into seven scenes, one for each participant, representing the units of analysis of the subjects' experience, named with the following titles: Scene 1: “In the Pedagogy course, at age 34, I recognized the sign language in me. I will not go out anymore! I belong to that!”; scene 2: “Being a Coda is a blessing!”; scene 3: “Is it about being Coda? Wow, at last we will be heard, my turn has come! ”; scene 4: “I’ve never thought about what it is to be HCDP”; scene 5: “I didn't like to play. But I’ve made one thing clear to myself: it is my obligation as a son. Patience!"; scene 6: “Coda? I was surprised to receive an invitation to talk about it, I didn't know what Coda was ”and, scene 7:“I was very upset when I realized that my dad didn't need me to work things out”. In general, we highlight the main results: a) the meanings of what it is to be Coda are circumscribed in the environment (in the pedological sense) that each subject experienced and differ from each other for this reason; b) the experiences about what constitutes being Coda are closely related to the family dynamics; c) even with a common biological trait (inherited native sign language), hearing children with deaf parents do not denote the same experiences about their trajectories; d) the age range articulated with the experiences of the environment has a central role to understand the constitution of the personality of Codas and, e) the experience of being an interpreter of the parents presents negative and positive experiences evidenced through contradictory dynamics, guaranteeing a non-permanent character in respect to the constitution of what it is to be Coda, culminated in the perspective that understands development as heterogeneous, changeable, non-linear and strained in the dramatic concreteness of social roles.
Description: Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Pós-graduação em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde, 2020.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEEDF).
Appears in Collections:PED - Doutorado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde (Teses)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/39456/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.