Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/43543
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2022_AlexandreSampaioRodriguesPereira.pdf2,46 MBAdobe PDFView/Open
Title: Qualidade de vida e polimorfismo genético no câncer de tireoide
Authors: Pereira, Alexandre Sampaio Rodrigues
Orientador(es):: Silva, Izabel Cristina Rodrigues da
Assunto:: Tireoide - câncer
Qualidade de vida
Polimorfismo genético
Neuropeptídeo Y
Issue Date: 26-Apr-2022
Citation: PEREIRA, Alexandre Sampaio Rodrigues. Qualidade de vida e polimorfismo genético no câncer de tireoide. 2022. x, 73 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências e Tecnologias em Saúde) — Universidade de Brasília, Ceilândia, 2022.
Abstract: O câncer de tireoide é um dos agravos mais comuns ao sistema endócrino, com o maior aumento anual de incidência em diferentes países, principalmente devido à melhoria das tecnologias de diagnóstico, sendo mais proeminente em regiões com acesso aos cuidados de saúde amplamente disponíveis. Estes achados também impactam em Economia da Saúde, pois prevê-se um custo de tratamento do câncer na ordem de 19-21 bilhões de dólares só nos Estados Unidos, e esta patologia representará o quarto diagnóstico de câncer até 2030. No Brasil, o câncer de tireoide é o câncer endócrino mais comum, com uma taxa de incidência de 7,57 por 100.000 mulheres e 1,49 por 100.000 homens. Diversos eventos moleculares foram descritos tanto na carcinogênese da tireoide quanto na progressão do tumor na glândula. Dados do Atlas do câncer no Genoma Humano dividiram os carcinomas papilíferos de tireoide nas categorias BRAF e RAS, com base nos resultados do exoma do sequenciamento de DNA, RNA e perfil proteômico, e padrões de metilação. Porém, outros fatores essenciais para a progressão tumoral incluem fatores de crescimento e seus receptores, reguladores do ciclo celular e moléculas de adesão. No contexto do câncer, além da biologia tumoral, associações com aspectos clínicos são pano de fundo para o entendimento do confronto determinante biológico x determinantes sociais, e a avaliação da Qualidade de Vida auxiliam nesta compreensão. Por outro lado, o Neuropeptídeo Y (NPY) é um polipeptídio envolvido em vários processos fisiológicos no sistema nervoso central e periférico. O NPY contrabalança as respostas excitatórias aos estressores promovidos pela norepinefrina, resultando em ação ansiolítica, mas também tem sido associado à modulação da progressão tumoral, especialmente em cânceres relacionados ao sistema endócrino. Assim, uma hipótese seria que o polimorfismo funcional da região promotora NPY -399 T/C (rs16147), que resulta em alteração da expressão neuropeptídica, pode afetar a progressão dos pacientes com câncer de tireoide papilar (PTC), suas características clínicas – especialmente sua qualidade de vida. O presente estudo observacional coletou amostras de sangue e os registros dos prontuários médicos de 19 participantes de pesquisa de ambos os sexos (idade média: 45 anos ± 12 anos), atendidos em um serviço de saúde localizado no Distrito Federal (Brasil) diagnosticados com carcinoma papilífero da tireoide (PTC) submetidos à terapia com iodo (I131) após a tireoidectomia. O instrumento de Qualidade de Vida WHOQOL-BREF também foi utilizado para determinar a qualidade de vida dos pacientes (QoL). Embora o polimorfismo da região promotora do NPY -399 T/C (rs16147) não estivesse correlacionado com a progressão e as características clínicas dos pacientes com PTC, os pacientes com PTC analisados tinham uma pontuação de QoL, e aqueles com genótipo TT tinham a pontuação média mais alta na avaliação de QoL. Portanto, o contexto fisiológico/genético pode ser essencial para o gerenciamento adequado dos pacientes com PTC. Estudos adicionais são necessários para aprofundar a compreensão do papel do neuropeptídeo Y na PTC e sua conexão com a QoL dos pacientes.
Abstract: Thyroid cancer is one of the most common disorders of the endocrine system, with the highest annual increase in incidence in different countries, mainly due to improved diagnostic technologies, being more prominent in regions with widely available access to health care. These findings also have an impact on health economics, as the cost of cancer treatment is expected to be around $19-21 billion in the United States alone, and this pathology will represent the fourth cancer diagnosis by 2030. In Brazil, thyroid cancer is the most common endocrine cancer, with an incidence rate of 7.57 per 100,000 women and 1.49 per 100,000 men. Several molecular events have been described in both thyroid carcinogenesis and tumor progression in the gland. Data from the Human Genome Atlas of Cancer divided papillary thyroid carcinomas into BRAF and RAS categories, based on exome results from DNA sequencing, RNA and proteomic profiling, and methylation patterns. However, other factors essential for tumor progression include growth factors and their receptors, cell cycle regulators, and adhesion molecules. In the context of cancer, in addition to tumor biology, associations with clinical aspects are the background for understanding the biological determinant vs. social determinants confrontation, and the assessment of Quality of Life helps in this understanding. On the other hand, Neuropeptide Y (NPY) is a polypeptide involved in several physiological processes in the central and peripheral nervous system. NPY counteracts the excitatory responses to stressors promoted by norepinephrine, resulting in anxiolytic action, but it has also been associated with modulation of tumor progression, especially in cancers related to the endocrine system. Thus, one hypothesis would be that the functional polymorphism of the NPY -399 T/C promoter region (rs16147), which results in altered neuropeptide expression, may affect the progression of papillary thyroid cancer (PTC) patients, their clinical characteristics - especially their quality of life. The present observational study collected blood samples and the medical records of 19 research participants of both sexes (mean age: 45 years ± 12 years), seen at a health service located in the Federal District (Brazil) diagnosed with papillary thyroid carcinoma (PTC) undergoing iodine therapy (I131) after thyroidectomy. The WHOQOL-BREF Quality of Life instrument was also used to determine the patients' quality of life (QoL). Although the polymorphism of the NPY -399 T/C promoter region (rs16147) was not correlated with the progression and clinical characteristics of PTC patients, the PTC patients analyzed had a QoL score, and those with TT genotype had the highest mean score on the QoL assessment. Therefore, the physiological/genetic context may be essential for the proper management of PTC patients. Further studies are needed to deepen the understanding of the role of neuropeptide Y in PTC and its connection to patients' QoL.
Description: Dissertação (mestrado) — Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Programa de Pós-Graduação em Ciências e Tecnologias em Saúde, 2022.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Appears in Collections:PGCTS - Mestrado em Ciências e Tecnologias em Saúde

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/43543/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.