Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/37080
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_HelenaGodoyBrito.pdf1,28 MBAdobe PDFView/Open
Title: Seguridade social, família e direitos LGBT
Authors: Brito, Helena Godoy
Orientador(es):: Boschetti, Ivanete Salete
Assunto:: População LGBT
Política social
Seguridade social
Direitos LGBT
Diversidade
Família
Issue Date: 11-Mar-2020
Citation: BRITO, Helena Godoy. Seguridade social, família e direitos LGBT. 2019. 190 f. Dissertação (Mestrado em Política Social)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.
Abstract: A sociabilidade burguesa é marcada pela opressão, exploração, desigualdade e discriminação, as bases que estruturam essa sociedade, que é dividida em classes sociais, produzem relações sociais desiguais que são perpetuadas historicamente. Esse cenário se complexifica quando inserimos nas discussões questões que vão para além do âmbito econômico. As questões de raça e etnia, sexualidade, identidade de gênero são questões importantes para entendermos a totalidade social, compreendermos a diversidade humana e suas expressões e potencialidades. Todavia, em uma sociedade que reproduz preconceitos e relações sociais desiguais e opressoras encontramos limites, os mais bárbaros, para a expressão dessa diversidade humana em toda sua potencialidade. A LGBTfobia se figura, portanto, enquanto um entrave para a plena realização da população LGBT, contribuindo para a negação dos direitos dessa população, impedindo que tais pessoas tenham seus direitos realizados. As políticas sociais são importantes espaços para a realização e garantia de direitos sociais conquistados historicamente. Essas políticas sofrem mudanças e são determinadas historicamente, sob a égide neoliberal percebe-se tendências que marcam o desenvolvimento e formulação de tais politicas, uma delas é a centralidade que a família nesses espaços e sua responsabilização pelo cuidado e bem-estar de seus integrantes. Nesse sentido, O presente trabalho procura problematizar como a concepção de família presente nas políticas da seguridade social brasileira (saúde, previdência e assistência social), que são reproduzidas em uma sociabilidade marcadamente patriarcal e heterossexista, afeta a garantia de direitos da população LGBT e de suas famílias. A análise parte de uma compreensão marxista da totalidade social, compreendendo as contradições e mediações que estão postas da realidade concreta.
Abstract: Bourgeois sociability is marked by oppression, exploitation, inequality and discrimination; the foundations that structure this society, which is divided into social classes, produce unequal social relations that are historically perpetuated. This scenario becomes more complex when we include in the discussions issues that go beyond the economic scope. The issues of race and ethnicity, sexuality, gender identity are important issues to understand the social totality, to understand human diversity and its expressions and potentialities. However, in a society that reproduces unequal and oppressive prejudices and social relations, we find the most barbaric limits to the expression of this human diversity in all its potentiality. LGBT phobia is therefore an obstacle to the full realization of the LGBT population, contributing to the denial of the rights of this population, preventing such people from having their rights realized. Social policies are important spaces for the realization and guarantee of historically conquered social rights. These policies undergo changes and are historically determined. Under the aegis of neoliberalism, trends are observed that mark the development and formulation of such policies, one of which is the centrality of the family in these spaces and their responsibility for the care and well-being of their members. In this sense, The present work seeks to question how the conception of family present in the Brazilian social security policies (health, social security and social assistance), which are reproduced in a markedly patriarchal and heterosexist sociability, affects the guarantee of rights of the LGBT population and of your families. The analysis starts from a Marxist understanding of the social totality, understanding the contradictions and mediations that lie in the concrete reality.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Serviço Social, Programa de Pós-Graduação em Política Social, 2019.
Licença:: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor com as seguintes condições: Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação, autorizo a Universidade de Brasília e o IBICT a disponibilizar por meio dos sites www.bce.unb.br, www.ibict.br, http://hercules.vtls.com/cgi-bin/ndltd/chameleon?lng=pt&skin=ndltd sem ressarcimento dos direitos autorais, de acordo com a Lei nº 9610/98, o texto integral da obra disponibilizada, conforme permissões assinaladas, para fins de leitura, impressão e/ou download, a título de divulgação da produção científica brasileira, a partir desta data.
Agência financiadora: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Appears in Collections:SER - Mestrado em Política Social (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/37080/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.