Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/15020
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO_ReflexoesSobreVersao.pdf176,69 kBAdobe PDFView/Open
Title: Reflexões sobre a versão em português da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde
Other Titles: Comments on the portuguese translation of the International Classification of Functioning, Disability and Health
Authors: Diniz, Debora
Medeiros, Marcelo
Assunto:: Terminologia
Doenças - classificação
Política pública
Issue Date: Oct-2007
Publisher: Escola Nacional de Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz
Citation: DINIZ, Debora; MEDEIROS, Marcelo. Reflexões sobre a versão em português da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 23, n. 10, p. 2507-2510, out. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_pdf&pid=S0102-311X2007001000025&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso em: 23 jan. 2014.
Abstract: A análise da terminologia adotada pela Organização Mundial da Saúde para deficiência mostra que a International Classification of Functioning, Disability and Health foi fortemente influenciada pelo modelo social da deficiência, um campo de pesquisas sobre deficiência das humanidades em saúde. As traduções do documento devem contemplar esse marco teórico nas escolhas terminológicas em cada idioma. No Brasil, o documento foi traduzido como Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. Julgamos que mais adequado que traduzir disability por “incapacidade” e impairments por “deficiências” seria usar o termo “deficiência” para disability e “lesão” para impairment. Dado o marco normativo do documento para as políticas públicas e pesquisas científicas é preciso garantir a acuidade e legitimidade dos conceitos e seus fundamentos teóricos. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT
An analysis of the World Health Organization terminology for disability indicates the influence of the social model of disability in the International Classification of Functioning, Disability, and Health. This theoretical framework should guide any translations of the document. In Brazil, the document was translated as Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. We argue that more appropriate than translating disability as “incapacidade” and impairments as “deficiências” would be to use the term “deficiência” for disability and “lesão” for impairment. Considering the normative impact of a WHO document for social policy and international research, the translation should accurately reflect the concepts and their theoretical basis.
Licença:: Cadernos de Saúde Pública - Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons (Attribution-NonCommercial 3.0 Unported (CC BY-NC 3.0)). Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_pdf&pid=S0102-311X2007001000025&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 23 jan. 2014.
Appears in Collections:SER - Artigos publicados em periódicos

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/15020/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.