Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/12335
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2012_MarianaAlvesdaCunhaKalil.pdf430,71 kBAdobe PDFView/Open
Title: O fim da escravidão africana na historiografia brasileira : pressão externa, valores e poder brasileiros no Segundo Reinado
Authors: Kalil, Mariana Alves da Cunha
Orientador(es):: Saraiva, José Flávio Sombra
Assunto:: Escravos - abolição
Brasil - história - II Reinado, 1840-1889
Escravidão - Brasil
Issue Date: 5-Mar-2013
Citation: KALIL, Mariana Alves da Cunha. O fim da escravidão africana na historiografia brasileira: pressão externa, valores e poder brasileiros no Segundo Reinado. 2012. 86 f. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2012.
Abstract: A contribuição desta dissertação é a sistematização dos elementos que possibilitam o entendimento do fim da escravidão africana no Brasil, ao temperar argumentos que privilegiam ou que descartam a pressão externa para o fim do tráfico negreiro, expandindo a análise para questões relacionadas a interesses, valores e poder no âmbito doméstico e no âmbito internacional, no que diz respeito à abolição da escravatura. Essa sistematização é possível a partir dos esforços metodológicos da Escola Inglesa das Relações Internacionais. No primeiro capítulo, é tratada a pressão externa para o fim da escravidão africana no Brasil, com ênfase para as influências no abolicionismo brasileiro de grupos de pressão britânicos, estadunidenses e franceses. No segundo capítulo, são destacados os valores, como o catolicismo, o liberalismo e o exemplo da família Real, que tornavam, paulatinamente, o abolicionismo um consenso no Brasil Império. No terceiro capítulo, são tratados os poderes, especialmente àquele do Exército e o dos próprios negros, que possibilitaram a mudança de regimes, com a assinatura da Lei Áurea. ________________________________________________________________________________ ABSTRACT
The contribution of this thesis resides in arranging those elements that entail a better understanding of the end of African slavery in Brazil. This aim is pursued by the weathering of positions that overestimate or underestimate the role played by international pressure in end the traffic of slaves in Brazil. The analysis is thus expanded through the observation of such variables as values and power, in the domestic landscape related to the abolition of slavery. Such rearrange is made possible through the methodological efforts of the British School of International Relations. In the first chapter, the international pressure to end African slavery in Brazil will be at the spotlight through the emphasis on British, American and French groups of pressure, also known as lobbies. In the second chapter values as Catholicism, Liberalism and the paradigm offered by the Royal Family will be taken into account as steps towards establishing abolitionism as a consensus. The third chapter will eventually consider the adoption of abolitionism by the slaves and the Army, variables of power that allowed the shift of regimes through the Lei Áurea.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Relações Internacionais, Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais, 2012.
Appears in Collections:IREL - Mestrado em Relações Internacionais (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/12335/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.