Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.unb.br/handle/10482/10777
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2012_GrazielaSousaNogueira.pdf1,02 MBAdobe PDFView/Open
Title: Adaptação e validação do Brief Illness Perception Questionnaire (Brief IPQ) para a cultura brasileira
Authors: Nogueira, Graziela Sousa
Orientador(es):: Seidl, Eliane Maria Fleury
Assunto:: Doenças - aspectos psicológicos
Percepção
Psicologia clínica da saúde
Issue Date: 21-Jun-2012
Citation: NOGUEIRA, Graziela Sousa. Adaptação e validação do Brief Illness Perception Questionnaire (Brief IPQ) para a cultura brasileira. 2012. xiii, 86 f. Dissertação (Mestrado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2012.
Abstract: Nos últimos anos houve o crescimento de pesquisas em âmbito mundial sobre a temática percepção de doenças. Tal expansão tem sido observada, especialmente a partir do desenvolvimento e difusão de instrumentos embasados no Modelo de Autorregulação de Leventhal. Entre os instrumentos construídos a partir desta perspectiva, cita-se o Brief Illness Perception Questionnaire (Brief IPQ), medida utilizada em diversos países, que auxilia no direcionamento de intervenções psicológicas, particularmente cognitivo-comportamentais. Contudo, no Brasil são inexistentes os instrumentos validados que avaliam a percepção de doenças, assegurando a relevância de pesquisas com esta proposta. Assim, o objetivo deste estudo foi adaptar e validar o Brief Illness Perception Questionnaire (Brief IPQ) para a cultura brasileira. Trata-se de instrumento composto de nove itens que avaliam a representação cognitiva e emocional da doença. Inicialmente, o Brief IPQ foi traduzido da versão original (inglês) para a língua portuguesa, mediante técnicas de tradução reversa e análise semântica, constituindo a validade linguística. Posteriormente, foi preenchido por 324 pacientes divididos em cinco grupos: HIV/aids (n = 65), diabetes (n = 65), hipertensão (n = 65), psoríase (n = 65) e asma (n = 64) para análise de suas propriedades psicométricas. Em relação ao escore global de percepção de doenças houve uma tendência àquela mais centrada na ameaça (M = 40,4). A análise dos componentes principais com rotação varimax extraiu três fatores: Fator 1 (representação emocional; α = 0,80), que agrupou dois itens originais da representação emocional (emoções e preocupações) e dois itens correspondentes originalmente à representação cognitiva (consequências e identidade); Fator 2 (representação cognitiva; α = 0,52) que agrupou três itens de representação cognitiva, tal como na versão original (controle do tratamento, controle individual e compreensão) e o Fator 3 (percepção de temporalidade) constituído pelo componente de representação cognitiva “dimensão temporal”. Para verificar qual estrutura fatorial possuía o melhor ajuste foram realizadas análises fatoriais confirmatórias, sendo testados dois modelos: Modelo 1, constituído por uma estrutura teórica com base no Modelo de Autorregulação de Leventhal; e Modelo 2 baseado na solução fatorial obtida no presente estudo, sendo excluído o item referente à dimensão temporal por se tratar de um fator com item único. O Modelo 2 apresentou o melhor ajuste. A validade discriminante indicou diferenças entre as médias dos grupos de pessoas que vivem com HIV/aids e os de pessoas com diabetes, psoríase e asma. A solução fatorial obtida, portanto, se refere a um instrumento com sete itens avaliados por uma escala de 0-10, mais uma questão aberta sobre causalidade da doença. O Brief IPQ foi considerado uma medida válida e confiável para avaliar a percepção de doenças, útil na prática de profissionais de saúde no Brasil que prestam assistência a pessoas que vivem com doenças crônicas. Porém, os resultados revelaram a necessidade de mais estudos com outras populações e em outros países para verificação de qual estrutura fatorial representa melhor o Brief IPQ, tendo em vista o Modelo de Autorregulação de Leventhal. Propõe-se ainda que sejam desenvolvidos itens alternativos, principalmente no que tange à dimensão temporal, pouco confiável neste estudo. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT
In recent years there was the growth of worldwide research on the subject perception of illness. Such expansion has been observed, especially from the development and dissemination of tools grounded in Leventhal’s Self-Regulation Model. Among the instruments built from this perspective, we can refer to Brief Illness Perception Questionnaire (Brief IPQ), as used in several countries, which assists in directing psychological interventions, particularly cognitive-behavioral. However, non-existent in Brazil validated instruments that access the illness perception, ensuring the relevance of research on this proposal. The object of this study was to adapt and validate the Brief Illness Perception Questionnaire (Brief IPQ) for the Brazilian culture. This instrument is composed of nine items that access the cognitive representation and emotional representation of illness. Initially, the instrument was translated from the original version (English) for the Portuguese language, by reverse translation techniques and semantic analyses, constituting the linguistic validity. It was completed by 324 patients divided into five groups: HIV/AIDS (n = 65), diabetes (n = 65), hypertension (n = 65), psoriasis (n = 65) and asthma (n = 64) for analysis of its psychometric properties. In relation to the overall score of illness perception there was a tendency to the illness more focused on the threat (M = 40.4). The principal component analysis with varimax rotation extracted three factors: Factor 1 (emotional representation; α = 0,80), which grouped two original items of the emotional representation (emotions and concerns) and two items related to the cognitive representation (consequences and identity); Factor 2 (cognitive representation; α = 0,52), which grouped three items of cognitive representation (control treatment, individual control and understanding) and Factor 3 (perception of temporality) consisting of the complement of cognitive representation “temporal dimension”. Analysis of sub-samples revealed small variations in the structure of the global sample. To determine which factor structure had the best fit where performed confirmatory factorial analysis, been tested two models: Model 1, consisting of a factorial structure based on Leventhal’s Self-Regulation Model; and the Model 2 results of principal component analysis being deleted the item regarding temporal dimension because it is a factor with single item. Model 2 presented the best fit. The discriminant validity indicated differences between averages of group of people living with HIV/AIDS and groups related to diabetes, psoriasis and asthma. The factorial solution obtained, therefore, refers to a scale with seven items assessed by a scale 0-10, plus an open question about causation of illness. The Brief IPQ was considered a valid and reliable measure to assess the perception of illness, been useful in the practice of health professionals in Brazil who assist people living with chronic disease. However, the findings revealed the need for confirmatory studies performed with other populations and another countries to verify which factor structure best represents the Brief IPQ in view of the Leventhal’s Self-Regulation Model. It is also proposed alternative items to be developed, mainly in terms to the temporal dimension component, unreliable in this study.
Description: Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Programa de Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde, 2012.
Appears in Collections:PED - Mestrado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde (Dissertações)

Show full item record Recommend this item " class="statisticsLink btn btn-primary" href="/handle/10482/10777/statistics">



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.